A limpeza de um canal parisiense deixou descobertas lamentáveis

Quem é guiado pelos pontos turísticos de Paris percebe que há muitos canais para visitação. Mas, nem todo mundo sabe o quanto esses canais podem ser sujos e poluídos, verdadeiros lixões submersos que juntam anos e anos de sucata.

Para melhorar essa situação, o governo vem fazendo mutirões para a limpeza dos canais. Um deles, que você vai conhecer agora, é o Canal Saint-Martin, de 4,55 quilômetros de extensão e que foi inaugurado em 1825. De lá para cá, muita coisa aconteceu. E como não era limpo há 15 anos, muitas foram as descobertas por baixo de suas águas. Veja alguns dos objetos encontrados.

1. Essa é a vista do canal Saint-Martin

Ao ter essa linda vista, cercada por árvores e com passeio para os pedestres, fica difícil imaginar tudo o que pode estar escondido por baixo dessa água. Quando as autoridades iniciaram o plano de limpeza, descobriram que ele estava realmente muito poluído.

2. O começo

O procedimento de limpeza do canal Saint-Martin começou com o preparo da área, afinal, os trabalhadores ainda não sabiam o que iriam retirar daquelas profundezas. Então, eles fizeram uma barragem temporária para isolar o local, e tiveram que fazer uma verdadeira obra ali, com máquinas pesadas.

3. Drenagem da água

A próxima etapa após a construção da barragem provisória era drenar a água. Esse processo precisava ser feito muito lentamente, pois era bastante água, mas não deveriam remover por completo essa água.

O motivo era que, embora fosse um local muito, mas muito poluído, ainda havia muitos peixes habitando as águas do canal. Portanto, se toda a água fosse removida, eles morreriam. A ideia era justamente o contrário: preservar a vida, fazendo uma boa limpeza.

4. Transporte dos peixes

Foram cerca de 4,5 toneladas de peixes, todos selecionados com redes, de forma manual, para garantir que sobreviveriam. Depois da drenagem foi necessário transportar os peixes para um lugar seguro para que depois pudessem ser colocados de volta no canal. Os peixes foram analisados e catalogados antes disso, para aproveitar e saber quais espécies conseguiam sobreviver naquele ambiente que deveria ser inóspito.

5. Registros dos peixes

Essa etapa do serviço não foi menos trabalhosa do que o processo de limpeza em si. Os peixes foram contados por uma equipe, todos catalogados, pois esse é um processo importante na preservação da vida desses animais. Foram encontradas diversas espécies, inclusive de até 20 quilos, acredite ou não!

Essa etapa do serviço não foi menos trabalhosa do que o processo de limpeza em si. Os peixes foram contados por uma equipe, todos catalogados, pois esse é um processo importante na preservação da vida desses animais. Foram encontradas diversas espécies, inclusive de até 20 quilos, acredite ou não!

6. As primeiras descobertas

Enfim, os peixes do canal estavam em segurança, catalogados e separados, como planejado. Era hora de começar a descobrir o que havia de lixo abandonado no fundo do canal. Pessoas que já estão habituadas com esse trabalho sabem que podem ter grandes surpresas.

Havia todo o tipo de coisas que as pessoas abandonavam, outras vezes que ficaram perdidas e acabaram caindo nas águas, havia de tudo um pouco, e mereceu registro para que não virassem história de pescador. A começar por essa mala de viagem. Quem será que não a quis mais?

7. Um cone de trânsito

Talvez esse seja um dos objetos mais comuns de se encontrar, embora não deve estar ali. Um cone de trânsito estava no fundo de toda a lama do canal, talvez porque tenha voado com o vento há muitos anos e afundado. Não tem como saber o que realmente aconteceu, mas ele foi encontrado e levado para o local adequado.

8. Carrinho de supermercado

Bem, essa é uma descoberta um pouco mais estranha. Para começo de conversa, os carrinhos de supermercado não deveriam sair do supermercado. Então, como é que um item desses foi parar no fundo do canal Saint-Martin? Alguém tem ideia?

9. Uma cadeira de escritório

A mesma coisa pode-se dizer dessa cadeira de escritório. Será que alguém realmente muito estressado com uma situação de trabalho foi capaz de abrir a janela do prédio e jogar essa cadeira no canal para nunca mais ter de sentar nela? É difícil de compreender.

10. Bicicletas

Esse é um dos itens que foi encontrado em maior quantidade no fundo do canal. As bicicletas até fazem um pouco mais de sentido, já que as pessoas passam com elas ao lado do canal. Pode ser que em algumas ocasiões as pessoas tiveram suas bikes estragadas e ficaram chateadas ao ponto de jogá-las dentro do canal. Ou, talvez, tenham sido carregadas pelo vento. Que desperdício!

11. Mais bicicletas

Mais uma bicicleta estava coberta por muita lama no fundo das águas turvas do canal, e dá até pena de ver, já que poderia ser mais um meio de locomoção não poluente a estar sendo usado pelas ruas da cidade. O interessante é que uma maior quantidade de bicicletas foi encontrada em um mesmo local. Será que existe um motivo curioso para essa descoberta?

A quantidade exata de bicicletas que foi encontrada no canal Saint-Martin não foi divulgada, mas se sabe que só entre os diferentes modelos havia mais de 98, então com certeza a quantidade foi muito maior do que a esperada pelas equipes de limpeza.

13. Algumas mesas de cabeça para baixo

Quando mesas também são encontradas no fundo do canal, fica mais parecendo que as pessoas realmente o enxergam como um depósito de entulho não mais útil em suas vidas. Será que, na melhor das hipóteses, foi uma enxurrada que levou tudo de dentro das casas para as águas? Tomara que sim.

14. Sacolas são o lixo básico

Bem, para quem encontra uma coleção de bicicletas, mesas, cadeiras, o que são sacolas plásticas? Esse item deveria ser considerado o básico de lixo que as pessoas jogam no rio sem se darem conta da quantidade de tempo que elas ficarão por lá sem se destruírem, e ainda por cima, matando animais.

15. Uma escada ou um carrinho de cargas?

Esse item se parece com um daqueles carrinhos para descarregar caminhões de entrega. Como assim ele foi parar no fundo do canal? Quem foi que não conseguiu segurá-lo para impedir que fosse “rodando” para a beira do canal e não fosse mais possível resgatá-lo? Mais uma situação para se pensar…

16. Scooters

Até dá para entender o caso das bicicletas, que são itens valiosos e úteis, porém mais baratos. Mas e essas pessoas que deixaram scooters serem carregadas e engolidas pelas águas? Não explicação melhor do que a ação do tempo, como enchentes e tempestades, pois não é possível que alguém iria se livrar de um item desses assim. Mas aí está a prova.

17. Uma pilha de bicicletas

Enquanto algumas bicicletas estavam vivendo uma vida solitária no fundo do canal, outras estavam convivendo como famílias. Elas também foram encontradas em grupos, enroscadas umas nas outras. Parece mesmo um caso à parte em que fortes ventos carregaram uma grande quantidade de bicicletas de uma só vez.

18. Um bloco de concreto

De alguma construção veio esse bloco. Mas, é uma peça tão pesada, que só pode ter caído com a demolição de algum prédio próximo ou com a soltura de alguma parte do interior do canal.

19. Uma lata de cerveja

Assim como as sacolas plásticas, um dos itens que mais se espera encontrar em uma limpeza como esta do canal de Paris é a latinha de cerveja e outras latinhas afins. Nesse caso, geralmente é apenas falta de preocupação das pessoas mesmo, com o péssimo hábito de jogar lixo no chão ou diretamente no rio, como se a preservação das ruas e das águas não fosse responsabilidade delas. Uma pena!

20. Muitas garrafas velhas e metal retorcido

Esse é mais um exemplo de pura falta de cuidado das pessoas com o meio ambiente à sua volta. Elas pensam que as garrafas vão lá para o fundo e, ao saírem de vista, já não causam mais problemas. E se alguém resolvesse se livrar de todo o lixo de casa, jogando tudo dentro da sua casa? É bom para pensar.

21. Canal de Saint-Martin é um museu de lixo

Com essa enorme quantidade de entulho e de lixo que foi encontrada no fundo canal, é uma pena pensar o quanto disso tudo poderia ter sido evitado com uma boa educação social. As pessoas simplesmente descartam o que não querem mais no pior lugar que poderiam fazê-lo.

22. A moral da história

Infelizmente, ainda que essa limpeza seja feita, é claro que muitas pessoas vão continuar sem desenvolver a consciência do cuidado com o planeta, e que cada detalhe faz a diferença, até mesmo aquele papel de bala e a bituca de cigarro que jogam na rua. Alguns pensam que não é problema deles, já que agora está feito. Mas a natureza sempre se encarrega de dar o troco. Não há qualquer motivo para sujar a própria casa dessa forma.

23. Seja limpo!

Colocar o lixo no seu devido lugar é um ato de cidadania também. Cuidar da cidade e saber o lugar de cada coisa é contribuir para que os ambientes públicos estejam sempre bonitos, limpos e em boas condições de uso para você e para as suas próximas gerações. Então, tenha consciência ambiental e faça a sua parte. É o mínimo!

24. Seja consciente do seu papel na sociedade

A extinção de muitos animais também é causada pela poluição dos seres humanos. O ecossistema é justamente o conjunto, e o ser humano faz parte dele, mas é o único animal que faz mais questão de destruir do que preservar e deixar a natureza seguir o seu curso natural.

Não deixe que outras pessoas tenham que limpar a sua sujeira. Seja digno de viver nesse planeta tão maravilhoso e de ajudar a prevenir que cada vez mais catástrofes aconteçam estimuladas pela destruição que a espécie humana causa no dia a dia. Seja consciente da importância do seu papel na sociedade em que vive.