Atriz americana dedica poema a Vladimir Putin

Publicidade

Conhecida mundialmente pela personagem Naomi Clark, do revival de Barrados no Baile, AnnaLynne McCord dedicou um poema ao Presidente russo, Vladimir Putin. A atriz publicou, em sua conta do Twitter, um vídeo com pouco mais de 2 minutos em que declama o poema intitulado “Se Eu Fosse Sua Mãe”.

O texto tenta imaginar como o mundo seria diferente se Putin tivesse tido uma infância melhor. Partindo do pressuposto de que o presidente sofreu abusos psicológicos, a autora diz que não consegue imaginar a dor que ele, enquanto garoto, presenciou vivendo em um mundo cruel. Segundo McCord, por ter crescido no medo, hoje, Putin “dá o troco ao mundo”. Veja a íntegra traduzida:

Publicidade

“Querido presidente Vladimir Putin,
Sinto muito por não ter sido sua mãe.
Se eu fosse sua mãe, Você teria sido tão amado
Tão apertado em braços de alegria e luz…

Nunca estaríamos diante desta situação histórica:
O mundo desfraldado diante de nossos olhos,
A morte da nação sentada em paz sob um céu noturno…

Publicidade

Se eu fosse sua mãe,
O mundo teria sido acolhedor,
Com tanto riso e alegria
Que nada te faria mal…

Não posso nem imaginar a mácula,
A dor que rouba a alma,
Que um garotinho como você
Deve ter presenciado e aceitado.
Como a formulação do pensamento rapidamente ensinou
Que você viveu em um mundo cruel e injusto.

Publicidade

É por isso
Você agora decide
Que ninguém vai ter o melhor de você?
É por isso
Que você não se esconde
Nem sequer se envergonha
De dar o troco no mundo?
Porque, tão cedo na vida,
Todo aquele conflito
Destruiu seu pequeno corpo com o medo?

Se eu fosse sua mãe,
Se o mundo estivesse frio,
Eu teria morrido para te aquecer.
Teria morrido para protegê-lo dos injustos
Da violência, do terror,
Da incerteza.
Eu teria morrido para lhe dar vida!

Publicidade

Oh, caro Senhor Presidente Putin,
Se eu tivesse sido sua mãe…
Talvez, a tortura da juventude não escrita
Não iria dentro do seu coração imbuir
A fidelidade àquele mundo que parecia tão cruel.

Talvez, você preservaria a preciosa vida humana
E nesta noite, em vez da Mãe Rússia,
Você me chamaria.
E eu libertaria a sua mente
Com o amor que só uma mãe pode dar
E só uma mãe pode tirar…

Publicidade

Quando abraça, ela não faz mal,
Não tira de seu filho a promessa de um homem…

Seja qual for a sua história, senhor presidente Putin,
Eu não posso imaginar como se sente em seu coração.
Mas eu sei que, se eu fosse sua mãe,
Isso seria um começo
Para a consciência do poderoso ser de luz que você poderia ser
Se sua mente estivesse livre
Da violência que você viu
Quando você tinha apenas dois ou três anos.

Publicidade

Eu não posso acreditar que nasci tarde demais em um lugar diferente
Quando eu teria te amado tanto,
Te ver brincar aonde quer que fôssemos…”

Em clara alusão aos conflitos recentes entre Rússia e Ucrânia, a atriz faz uma projeção sensível de como o amor materno poderia mudar a vida de Putin e a história do mundo. Apesar de ainda não ter filhos, a artista usa da licença poética do feminino para se colocar como mãe e exemplificar esse laço único. O vídeo já foi visto por quase 25 milhões de pessoas. Assista!

Publicidade

Veja também: Guerra entre Rússia e Ucrânia: entenda a crise entre os países