Com condição rara esta garota se tornou fonte de inspiração para o mundo

A pequena criança estava à espera de quem a aceitasse com amor

A história que você vai ter o prazer de conhecer agora é de Hannah Kritzeck, uma criança nascida com uma condição rara chamada nanismo primordial. Por conta dessa condição, desde o seu nascimento ela descobriu o terrível sentimento causado pela rejeição. Sua mãe biológica não soube o que fazer quando viu que sua garotinha recém-nascida era tão pequenina e a colocou para adoção.

Hannah ainda era um bebezinho, e por sorte não chegou a sentir a dor do abandono, quando o cala Jackie e Larry decidiu adotá-la. Foi amor à primeira vista, pois quando viram aquela garotinha frágil, sabiam que tinham uma missão de vida junto a ela. O que eles não sabiam era que sua gratidão viria em forma de uma retribuição muito especial.

Hannah sempre recebeu todo o amor de sua família

Na sua nova família, com seus pais adotivos Jackie e Larry, Hannah também teve a sorte de conviver com seus 3 irmãos amorosos: Kelly, Matt e Mark. Mesmo necessitando de cuidados especiais por conta da sua condição, essa família sempre aceitou a pequena Hannah com amor incondicional. No futuro, ela saberia como retribuir.

Hannah sempre teve consciência da sua condição especial

Logo quando começou a ter mais consciência sobre quem era, Hannah pôde perceber que o seu corpo era diferente dos seus irmãos e dos colegas da escola. Sua família sabia que esse momento chegaria, e nunca esconderam da menina que ela estava entre as 100 pessoas, no mundo todo, com nanismo primordial. E que era justamente essa condição que poderia fazer dela uma pessoa muito especial, contanto que ela se aceitasse e se amasse do jeito que era. Hannah, assim o fez.

É claro que o Ensino Médio foi uma das fases mais difíceis

Todo jovem sofre, de alguma forma, quando chega ao Ensino Médio. Porém, Hannah estava na fase da puberdade, com a cabeça em amadurecimento, só que o seu corpo dizia que ela era uma criança de 5 anos idade. Isso a frustrava muito, como que se já não bastassem seus problemas cardíacos e aneurismas que precisava lidar por conta do nanismo. O bullying atingiu a menina diversas vezes, inclusive ao lhe dizerem que ela jamais conseguiria namorar. Mas a menina havia sido criada para ser uma guerreira, dona da própria vida.

Hannah fala abertamente sobre como se sente

Por conta da sua condição rara, Hannah instigou o interesse da mídia por diversas vezes. Em alguns depoimentos ela contou que era frustrante ser vista como uma criança pequena, mesmo já sendo quase uma adulta. Mas também disse que, assim que percebeu suas diferenças físicas em comparação aos irmãos, seus pais fizeram de tudo para que ela tivesse uma infância normal, sem coitadismos.

Uma pessoa com nanismo primordial tem no próprio corpo o maior dos desafios

Ainda que estivesse preparada para lidar com a maldade das pessoas à sua volta, Hannah tinha mais preocupações. Aliás, bem mais importantes, que eram com a sua saúde. Uma pessoa com nanismo primordial corre muitos riscos de saúde, como de ter aneurismas cerebrais, além da escoliose que deixa a coluna em forma de S ou de C.

Mas, todos os desafios foram superados por Hannah e sua família, com muita dedicação e paciência. Ela já está habituada a uma rotina de cuidados médicos, muitos exames, e sua escoliose foi corrigida com placas de titânio na sua coluna para que ela pudesse ter a melhor qualidade de vida possível. A menina sempre valorizou esses cuidados ao máximo!

O amor da família fez Hannah ter autoestima e amor próprio

Na infância, quando já tinha se dado conta que era diferente, Hannah teve que aprender a lidar com os olhares e atitudes desagradáveis das pessoas fora de sua casa. Mas, sempre encontrou sua força nos braços da família que fazia tudo o possível para que ela se sentisse independente e capaz do que quisesse fazer. Eles até instalaram interruptores mais baixos para ela acender as luzes sem ajuda, além de banquinhos em frente aos armários e pias para que aprendesse a fazer tudo sozinha. Mas, em meio a tanto amor e cuidado, outro membro da família foi atingido por uma condição de saúde.

Com a mãe precisando de ajuda, Hannah viu a oportunidade de retribuir seu amor

Jackie, a mãe de Hannah, descobriu que sofria de rins policísticos, e precisa de um transplante. Então, sem contar aos seus pais, a menina foi ao médico para saber se era compatível e poderia fazer uma doação à mãe. Ela estava determinada a marcar a vida da família com uma atitude de amor verdadeiro e sentir que estava retribuindo o que sempre fizeram por ela. Porém, mesmo depois de descobrir que havia compatibilidade para o transplante, o médico acho muito arriscado que Hannah passasse por um procedimento cirúrgico como esse, já que seu organismo era muito sensível. Mesmo assim, ela achava que valia a pena.

Uma pequena garota com sonhos imensos e vida

Nenhum tipo de obstáculo, nem sua condição de saúde nem o bullying que sofria, eram páreo para os sonhos de Hannah. Ela sempre quis ser famosa, e por isso seus pais a colocaram em aulas de dança e ginástica desde os 2 anos de idade, pois assim poderia desenvolver habilidades artísticas. Além do mais, atividades físicas também eram ótimas para o seu corpo se manter saudável.

Hannah não era apenas mais um membro da turma…

Hannah nunca se viu como uma pessoa limitada, que deveria ficar em casa e se esconder do mundo. Por conta do apoio que sempre recebeu, ela se entregou de corpo e alma à dança, pois sonhava em ser uma grande artista dos palcos e talvez até do cinema. Sua professora de dança não hesitou ao dizer que Hannah se destacava na sua turma de dança livre. Ela é a prova de que a dedicação e o amor pelo que faz abrem as portas que você quiser.

Hannah e seus conselhos valiosos

Hannah e seus conselhos valiosos

Em entrevista, quando lhe perguntaram sobre o que ela poderia dizer em apoio aos jovens que sofrem com condições de saúde como a dela, Hannah disse que não importa como você seja, tudo o que precisa fazer é perseguir os seus sonhos e se dedicar ao máximo para realizá-los. Ela, por exemplo, é apaixonada e dedicada à dança: o hip hop é a sua energia e o balé é a sua fonte de tranquilidade. Nada deve atrapalhar o amor de uma pessoa pelo que ela mais gosta de fazer, não importa qual seja a sua condição física.

Hannah aprendeu a viver cada dia como se fosse o último

Por ser portadora de uma condição rara, que ainda exige muito estudo para ter melhores tratamentos e expectativas de vida, Hannah sabe que é grande o risco de ela viver por menos de 40 anos. Mas, ao invés de ficar em casa deprimida, ela sempre viu esse risco como um motivo para não perder tempo da sua preciosa vida. Ela aproveita cada momento para fazer o que ama, estar com as pessoas que são importantes para ela e, até, aproveitar a oportunidade de conhecer seus ídolos.

Um dia que marcou a vida de Hannah

Hannah estava prestes a completar 18 anos e sua vida já era pública. Certa vez ela tinha participado de um programa de televisão no qual falou sobre sua condição e também do sonho de conhecer a Selena Gomez, que tanto admirava. Então, Maury Povich, o apresentador do programa, resolveu que o sonho de Hannah seria realizado no seu programa de número 2.500. Ele trouxe a atriz ao programa e promoveu o encontro entre as duas, que foi emocionante para Hannah e que também marcou uma nova trajetória em sua vida.

O sonho de ser atriz estava se tornando realidade

Desde aquele dia em que Selena Gomez esteve cara a cara com Hannah, a menina viu sua vida mudar. Seu sonho de ser uma atriz famosa começou a dar os primeiros passos com aparições em filmes e programas de televisão. Então, em 2014, ela foi a protagonista do documentário norte-americano “Little and Looking for Love” (Pequena e procurando por amor). Hannah falou abertamente sobre como era ver suas amigas com namorados e ela ainda não havia encontrado alguém especial. Mas, mesmo assim, ela sabia que era cercada por amigos.

Hannah não tinha seu grande amor, mas nunca lhe faltou afeto

Hannah estava em busca de um grande amor para ser o seu namorado e dar início à sua vida afetiva. Mas, enquanto isso, sempre esteve muito feliz com seus grandes amigos, Emily Tofte e Heidi Melgren, com quem passava boa parte do tempo.

O tempo passou e a família de Hannah aumentou

Os irmãos de Hannah ficaram mais velhos, tiveram filhos e ela se tornou tia. Agora, seus sobrinhos brincam de carregá-la no colo, e todos se divertem com isso, pois respeitam Hannah acima de tudo. Ela sabe que tudo de bom que sempre teve em sua vida foi por causa do apoio dessa família que é a sua razão de viver.

Achou que o amor não apareceria tão cedo? Pois apareceu…

Hannah tinha um amigo, Brad Jordan, que também tinha nanismo. Não demorou para que eles se afeiçoassem e acabassem se apaixonando. Foram juntos ao baile de formatura e começaram a namorar. Porém, mais uma vez a vida colocaria Hannah em uma situação delicada que exigiria sua força emocional e capacidade de superação.

O primeiro romance terminou de forma inesperada

É claro que Hannah e Brad sabiam que sua condição lhes trazia riscos de morte prematura. Mas mesmo assim não queriam pensar sobre isso, pois viver cada dia é o que importa. Porém, em março de 2017, Brad faleceu vítima de um ataque cardíaco. Esse momento foi impactante para Hannah, pois além de perder seu namorado, também começou a pensar que a sua vida poderia terminar a qualquer momento. Então, o que ela fez?

Hannah continuou focada no presente e no futuro

Depois de se despedir de Brad e passar um tempo com sua cura emocional, Hannah seguiu em frente. Ela ainda tem o sonho de se casar e ter filhos. Ela sabe que sua condição a faz ter um corpo mais frágil, mas nem por isso vai parar de viver. É justamente essa a sua motivação para perseguir seus desejos a cada dia, pois não há tempo a perder. Aliás, esse deveria ser o pensamento de todas as pessoas, pois ninguém sabe quando será seu último dia.

Hannah sabe aproveitar as oportunidades e ser feliz

O carisma e a alegria de Hannah a permitiram conquistar muitos amigos ao longo da sua juventude. Então, nunca faltam convites para uma festa ou momentos de lazer entre as pessoas queridas. Nessas ocasiões Hannah adora mostrar seu talento como dançarina e receber os aplausos de todos, afinal, ela nasceu artista.

Os sonhos profissionais também são grandes

Como já deu para perceber, Hannah não se sente limitada. Assim como ela anseia encontrar um amor e constituir uma família, também planeja sua vida profissional. Ela deseja ser professora de canto e fazer turnês mundiais como dançarina. Enquanto tiver sonhos e foco para alcançá-los, cada dia terá mais sentido e ela terá mais vontade de viver.

Uma mãe que sabe ser mãe de verdade

A mãe de Hannah admira muito os talentos e a paixão da filha pela vida. Ela sabe que fez um grande trabalho ao criar uma menina cheia de força e inspiração para perseguir os próprios sonhos, e foi isso que tornou a pequena Hannah uma grande mulher, admirada por muitos.

Hannah sabe que sua vida é inspiradora para muitas pessoas

Por ter ficado conhecida depois de participar de muitos programas de televisão, Hannah desenvolveu ainda mais a percepção de como sua história é importante. Não apenas as pessoas com nanismo, mas também com outras condições que consideram limitantes fisicamente, puderam e podem entender que não há limites para fazer o que deseja e ama, desde que tenha foco e determinação.

O companheirismo entre mãe e filha permanece

Jackie, a mãe de Hannah, sempre deixou tudo às claras quanto à condição da filha e seus riscos. Mas, nem por isso elas focam no problema. Aliás, Jackie sabe que sua positividade sempre foi importante para fazer Hannah ter sonhos e querer realizá-los. Elas são muito amigas e companheiras, pois o amor verdadeiro é o laço que as une.

Hannah participa de causas nobres

Hannah e sua família sempre buscaram por maneiras de fazer a vida da pequena garota ter ainda mais valor, fazer mais sentido e impactar positivamente a vida de outras pessoas. Foi por isso que eles se juntaram em apoio à Fundação Potentials, que conecta várias família de portadores de nanismo primordial. A Fundação realiza anualmente a Conferência Nacional das Pequenas Pessoas da América, onde Hannah pode encontrar com seus amigos e participar de eventos importantes sobre a evolução da medicina no que toca o nanismo primordial.

A família de Hannah sempre teve um lema: “fazer o bem sem olhar quem”

Além de buscar firmemente os próprios sonhos, Hannah também foi ensinada a ajudar o próximo sem hesitar. Então, foi esse lema que incentivou toda a família de Hannah a ajudar a Fundação Potentials a se tornar maior e com mais visibilidade em 10 países. Assim, eles ajudaram a permitir que Hannah estivesse mais próxima de pessoas com a mesma condição que ela, e que juntos estes portadores do nanismo primordial sentissem que fazem parte de um grupo; que há mais pessoas no mundo como eles, e que vale a pena batalhar por melhores condições de vida para eles.

O nanismo primordial

O nanismo primordial é apenas um entre os tipos de nanismo que existem. Neste tipo, a criança nasce muito menor do que o considerado normal, mas com todo o corpo em tamanho proporcional. Assim, eles crescem com a aparência de serem crianças, pois dificilmente ultrapassam 1 metro de altura na vida adulta. Por conta de serem tão pequenos, seu organismo também é muito mais frágil, e é por isso que sua expectativa de vida é menor.

O nanismo primordial no mundo

Atualmente há cerca de 100 pessoas registradas com nanismo primordial em todo o mundo. Por isso, é considerada uma condição rara. Como ainda são necessários muitos estudos para que se compreenda exatamente a condição e se encontrem soluções para melhorar a qualidade e a expectativa de vida dos portadores, eles crescem preparados para morrerem antes dos 30 anos de idade. Será que Hannah, com toda a sua paixão pela vida, vai ultrapassar essa marca? Tomara que sim! Que ela continue servindo de exemplo e inspiração até ser uma senhora idosa.

Hannah aproveita suas aparições na mídia para inspirar as pessoas

Hoje em dia Hannah tem plena consciência do quanto a sua história pode inspirar a vida de todas as pessoas, inclusive daquelas que levam uma vida considerada normal, sem qualquer condição rara. Sempre que pode, ela faz questão de expressar mensagens encorajadoras e positivas para que as pessoas valorizem a vida e vivam cada dia ao máximo, apesar dos obstáculos.

Cada dia é valioso: viva como se não houvesse amanhã

Hannah sabe que a vida precisa ser um equilíbrio: deve-se viver com cuidado para não extrapolar os seus limites, mas sempre com coragem para descobrir que pode ir além. Então, é exatamente o que ela faz, sempre procurando ser fonte de inspiração para si mesma e para os outros. Seus familiares apenas desejam que a medicina descubra formas de aumentar a expectativa das pessoas com nanismo primordial para que eles possam estar ao lado dessa grande garota por longos anos ainda, e vê-la brilhar cada vez mais.