Conheça a história conturbada da família Jolie-Pitt até hoje

Uma família que começou com 4 membros

Quando o casal Brad Pitt e Angelina Jolie se formou, todos os fãs ficaram apaixonados. Isso aconteceu depois de Jolie se separou de Billy Bob Thornton, no ano de 2002. Naquele período, Jolie adotou seu primeiro filho, Maddox, do Camboja. Depois de 3 anos ela também adotou Zahara, sua filha da Etiópia. Quando Jolie começou um relacionamento com Pitt, ela já tinha as duas crianças, e o ator prontamente as adotou também. Essa família já começou com 4 membros, e ainda teria muita história pela frente.

Fugindo da imprensa

Se antes Jolie e Pitt já eram atores muito bem sucedidos e procurados pela mídia o tempo todo, a vida deles ficou ainda mais em evidência quando assumiram um relacionamento. Assim foi, mesmo depois de muito tempo de relação, pois o casal nunca deixou de chamar a atenção.

Para ficarem mais protegidos da mídia, quando Angelina engravidou pela primeira vez, de Shiloh, eles decidiram ir para a Namíbia para terem mais privacidade e ficarem longe da mídia até que estivessem prontos para apresentar o novo bebê ao mundo. Para um casal como eles o assédio é tão grande que as pessoas ficam invasivas e não os deixam viver em paz nem por um segundo.

Agora uma família de 5 membros

Shiloh nasceu, como a primeira filha biológica do casal mais famoso e adorado de Hollywood. Para o casal, 3 filhos ainda não bastavam, pois eles tinham mesmo muito amor para dar e, claro, condições de criar suas crianças com absolutamente tudo o que elas precisariam para crescerem felizes, em especial aos filhos que foram adotados e receberam a oportunidade de levar uma vida longe das situações precárias nas quais nasceram.

Então, depois que Shiloh completou 1 ano de idade, o casal resolveu adotar mais uma criança. Desta vez, o novo membro da família Jolie-Pitt foi Pax, um garotinho do 3 anos do Vietnã. Agora eles eram 6 membros de uma família muito feliz que os fotógrafos faziam questão de acompanhar cada passo.

Não mais uma mãe solteira

Antes de começar o seu relacionamento com Pitt, Jolie já tinha 2 filhos adotivos. Então, quando o casal resolveu assumir a relação, Pitt queria também se tornar um guardião legal das crianças. Ara isso, eles tiveram que passar por muitas burocracias até que conseguissem os documentos necessários. Mas, é claro que tudo deu certo, e em 2006 Pitt foi nomeado guardião legal dos pequenos. Agora sim, eles eram oficialmente pais de todos os seus filhos.

À espera de Shiloh

O casal já tinha muita admiração e respeito do público por conta dos seus 2 filhos adotivos. Mas, ficaram ainda mais famosos (se é que era possível), quando anunciaram que estavam grávidos. Eles sabiam que a partir daquele momento a mídia não os deixaria em paz, sempre querendo saber qualquer mínima novidade sobre a gravidez. Mas, eles já eram experientes no assunto. Eles sempre souberam se posicionar e garantir que seus filhos fossem respeitados pela mídia, sem abusos e excesso de exposição.

O começo da relação

Muita gente ainda se pergunta como é que esse casal não tinha se formado antes. Bem, Jolie era casada e Pitt também, cada um dia tinha vida, e só pelo fato de serem atores de Hollywood não queria dizer que tivessem qualquer coisa em comum a ponto de se interessarem um pelo outro.

Mas, na verdade, isso acabou acontecendo mesmo. Quando os dois atores foram escolhidos para filmar Sr. & Sra. Smith, como um casal, eles sentiram uma química. Foi nessa época que Pitt se separou de sua então esposa Jennifer Aniston, o que gerou muitos rumores também. Jolie afirmou que até a separação de Pitt, nada havia acontecido entre os dois.

Um filho é um compromisso público

Mesmo já tendo assumido a relação há tanto tempo, foi quando Jolie e Pitt anunciaram a gravidez que a coisa recebeu um olhar mais sério. Ter filhos ainda é visto como um selo de aprovação entre um casal, embora, na prática, não seja bem assim. Mas, enfim.

O casal precisava preservar sua vida pessoal ao longo da gravidez, e por isso escolheram se recolher na Namíbia até o nascimento do bebê, que ocorreu em 27 de maio de 2006. Eles mantiveram tanto segredo, que uma foto daquela criança passou a valer uma fortuna. É assim que funciona. Só por viver a sua vida, quando se é um astro de Hollywood, você já fica mais milionário a cada dia.

Total segurança no hospital

Jolie e Pitt sempre tiveram consciência do que sua imagem representava para a mídia. Por isso, mesmo estando em outro país, tiveram que contar com o apoio do governo para manter a sua privacidade. No hospital escolhido para o nascimento de Shiloh, uma ala inteira foi fechada para eles, e apenas pessoas autorizadas tinham acesso.

Havia equipe de segurança no local, e mesmo assim os fotógrafos estavam afoitos por um clique despercebido. Um deles chegou a ser preso por tentar fotografar a família em seus momentos privados, e é por isso que se faz necessária tanta segurança e cuidado.

Uma foto para a caridade

Por conta de os pais continuarem reclusos junto com seu novo bebê, mesmo após o nascimento, muitas especulações começaram a surgir, inclusive de pessoas achando que eles nunca iriam deixar que fotos do bebê fossem tiradas. Porém, é claro que eles não fariam isso, ou teriam que parar de viver e aparecer em público. Apenas estavam esperando pelo momento oportuno.

Esse momento valia muito dinheiro. Eles precisaram pensar nas melhores propostas que receberam, e acabaram fechando um acordo com a Getty Images, que conseguiu fazer fotos oficiais dos pais com Shiloh, e que valeram muito, mas muito dinheiro. O casal diz ter doado todo o pagamento pela foto para caridade, como já era habitual deles.

Aumentando a fama

Mesmo depois que o público teve acesso a imagens de Shiloh, a obsessão não parou. As pessoas queriam saber cada vez mais detalhes sobre a vida no novo bebê, e principalmente como era a sua fisionomia, já que havia sido feito por duas pessoas consideradas mais bonitas de Hollywood.

Shiloh, com poucos meses de vida, estava tão famosa, que recebeu uma réplica sua em tamanho real para ficar no Museu de Cera Madame Tussauds. É claro que, mais uma vez, os pais autorizaram essa homenagem, envolvendo bons negócios para ambos os lados.

O sexto membro

Quando o casal voltou para a América, sua família não tinha apenas 5 membros, mas sim, tinha 6. Ele era Pax, o pequeno garotinho que o casal adotou no Vietnã. Mas, como Jolie e Pitt não eram oficialmente casados, apenas ela pôde assinar os papéis da adoção legal, pois o país não permitia que fosse de outra maneira. Porém, papéis são apenas papéis quando há amor envolvido. Brad sempre cuidou de todos os filhos da mesma maneira, e agora eles formavam uma grande família feliz.

Uma família grande e feliz

Quando o casal voltou para a América, Brad conseguiu se tornar guardião legal de Pax, e agora estava tudo certo. Eles eram uma grande e famosa família, que precisava sair na rua cercada por seguranças para se protegerem não só do público, mas principalmente dos fotógrafos que estavam sempre por perto.

Qualquer foto poderia valer muito dinheiro, mas isso nunca impediu que o casal tentasse dar aos filhos uma vida relativamente normal, andando pelas ruas e aprendendo a lidar com tanto assédio. Afinal de contas, eles certamente terão essa rotina por toda a vida.

Semelhança com os pais

Quando finalmente a pequena Shiloh começou a aparecer mais vezes nas revistas e programas de televisão através das fotos que os pais publicavam e que os paparazis conseguiam, o público ficou cada vez mais maravilhado com a beleza do bebê. Ela correspondeu às expectativas de ser uma perfeita mistura do DNA de seus lindos pais. E, assim, ganhou ainda mais fãs e seguidores por toda parte que queriam acompanhar o seu crescimento.

Mais uma gravidez

Quando todos pensavam que a família Jolie-Pitt estava completa, veio mais uma surpresa. Eles anunciaram uma segunda gravidez. Mas esta era ainda mais interessante, pois Jolie estava grávida de gêmeos. Foi em 12 de julho de 2008 que nasceram Vivienne Marcheline e Knox Léon.

Mais uma vez o casal tinha que se preparar para um grande momento de assédio da mídia querendo acesso a fotos de seus bebês. É claro que eles sabem tirar um bom lucro de tudo, e as primeiras fotos dos pequenos custaram nada menos de 14 milhões de dólares. Certamente o bastante para dar um bom futuro para todos eles, além da fortuna que o casal já tinha.

Tal pai, tal filha

Por algum tempo, o casal preferiu manter os filhos gêmeos longe da mídia, assim como fizeram com a pequena Shiloh. Porém, para compensar, as pessoas queriam saber ainda mais sobre a pequena Shiloh que estava cada vez mais parecida com o pai, em especial no olhar. O que ninguém sabia é que os dois seriam ainda mais parecidos dentro de alguns anos.

Se vestindo como o pai

Os 6 filhos do casal estavam sempre juntos com os pais, aparecendo nas fotos de eventos ou mesmo andando por aí na rua, cercados por seus seguranças. Só que, conforme foram crescendo, Shiloh continuou sendo centro das atenções, não apenas pela fisionomia tão parecida com o a do pai, mas também por se vestir igual a ele.

Aos poucos o público for percebendo que a pequena Shiloh não se sentia confortável vestindo roupas de menina, e seus pais nunca a impediram de ser livre para escolher o que vestir.

Aparência andrógina de Shiloh

Não demorou para que as revistas sensacionalistas começassem a querer ganhar mais e mais dinheiro em cima da aparência da pequena Shiloh, que gostava mais de se parecer com um menino. Certa vez, a revista Life & Style lançou uma manchete muito maldosa que dizia: “Por que Angelina está transformando Shiloh em um garoto?”.

Nessa matéria, a revista publicou uma entrevista com um grupo conservador cristão afirmando que se os pais permitem que a criança se vista de forma andrógena, ela pode ser prejudicada no futuro (como se eles tivessem algum direito de dar opinião na vida alheia!). Porém, essa matéria mal intencionada não ganhou força. O público continuou apaixonado por Shiloh, vestida do jeito que queria se vestir, e ganhando todo o apoio de sua família por isso.

Em defesa da família

Após a matéria publicada pela revista na tentativa de gerar ódio entre as pessoas e a família Jolie-Pitt, um grupo chamado Centro Nacional para a Igualdade dentre os Trangêneros se manifestou em defesa da família. Eles declararam uma criança tem todo o direito de viver e se vestir da forma que sente e que gosta, em especial em uma fase de tantas descobertas.

O mundo seria beneficiado por crianças que têm liberdade de expressão e que se interessam por mais do que veem no espelho. A mãe, Angelina, defendeu a filha dizendo que ela preferia se vestir e se comportar como um menino, e se sentia parte do grupo de irmãos meninos da família, então assim seria, sem problema algum.

Especulação sobre Shiloh ser transgênero

No mesmo ano, em 2010, Angelina não podia mais fugir desse assunto na hora de dar entrevistas. Mas ela já estava preparada para defender Shiloh e o posicionamento da família diante da escolha da pequena que, aliás, era muito jovem para ser bombardeada com esse tipo de coisa. Ela estava apenas vivendo sua vida, seu mundo, da forma se sentia vontade, sem qualquer tipo de segunda intenção. Não tinha que ser julgada, e nem seus pais por deixarem ela viver assim.

Apoio de todos os lados

Quando essa entrevista foi lançada, logicamente dividiu opiniões, sendo que a maioria delas foi de apoio à família. Celebridades LGBTQ defenderam a causa como algum natural que a sociedade precisava parar de condenar, pois o único mal que faz a um ser humano é impedi-lo de ser quem realmente sente que é.

Um apoio importante foi de Chaz Bono, filho da cantora Cher, que é transgênero que queria oferecer todo o suporte à família, já que sabe como é crescer sob os holofotes e com tanto julgamento.

A dificuldade de crescer publicamente

Ainda que alguns artistas estivessem querendo ajudar e dar apoio, nem sempre eram bem recebidos, já que esse é um assunto bastante delicado. Um exemplo foi quando a modelo Amber Rose postou uma foto de Shiloh no tapete vermelho e escreveu a legenda: “Quão lindo é John Jolie Pitt?! Nascido na família perfeita para ele”. Seu post tinha as seguintes hashtags: #TransKids, #LoveUrKidsNoMatterWhat, e #Support.

Claro que a intenção foi boa, mas ainda não havia sido divulgado abertamente que Shiloh era mesmo transgênero, portanto, a ideia de ajuda passou a ser uma especulação sobre algo que a modelo não tinha que opinar.

Lidando com os maldosos

Mesmo com muito apoio, é claro que os ataques à família Jolie-Pitt, em especial à mãe, não pararam. Angelina sabia muito bem como lidar com a situação e se defender das pessoas que, além de se acharem no direito de se intrometerem na vida de uam criança, ainda pensam que a mãe é a única responsável por sua criação.

Enfim, em entrevista Jolie disse que nunca negligenciou a filha e sempre teve consciência da diferença entre a situação da qual tirou seus filhos adotivos e da situação em que sua filha biológica havia nascido. Existe todo um cuidado e um preparo para que todos sejam tratados por igual, como realmente são, e as diferenças também são respeitadas.

Separação do casal

A vida da família continuou embora todo o drama sobre a vida da pequena Shiloh. Mas, outra situação estava prestes a acontecer, e então a família voltaria a estampar as revistas e sites. Em 2016 o casal anunciou uma separação depois de mais de 10 anos de casamento.

É claro que não demorou para que voltassem as especulações sobre a vida dos filhos, como é que ficariam agora em uma família de pais separados, e se Shiloh estaria agindo como andrógena somente para chamar a atenção. A maldade continuava…

Um ataque físico entre família?

Uma das especulações que surgiam na época da separação foi que em uma determinada ocasião Pitt havia agredido o filho mais velho, Maddox, quando ele tentava proteger a mãe em uma briga do casal. Mas, logo as alegações foram negadas e todas as pessoas próximas da família confirmaram que era apenas uma fake news de quem queria ganhar atenção.

Rumores sobre o motivo do divórcio

Esse tipo de rumor sobre os motivos da separação surgem com frequência quando não se sabe a verdade. Os fãs querem saber o que motivou o casal mais popular de Hollywood a se separar, e enquanto a resposta não surge, a imprensa precisa ficar lançando especulações para manter o interesse do público aceso.

Outros rumos que surgiram foram sobre o mau comportamento de Pitt abusando de drogas e não mais correspondendo à postura de pai e marido que a esposa esperava dele. Mais outro rumor foi de que Pitt teve um caso extra-conjugal, mas que também não se confirmou.

Um inquérito que chocou o público

Em meio a tantas especulações, mais rumos continuavam a surgir, agora quando alguns paparazi flagraram Pitt saindo da casa da família. Houve também uma notícia de que o ator estava sendo investigado pelo FBI e pelo Departamento de Serviços para Crianças e Família  de Los Angeles sobre a forma com que estava tratando seu filhos. Mas, depois de dar depoimentos, o caso foi encerrado e o ator foi liberado de todas as acusações.

Afetando as crianças

De alguma forma, toda criança e adolescente é afetada pela separação dos pais. Cada família reage de uma forma diferente. No caso dos filhos Jolie-Pitt havia ainda a preocupação em terem de lidar com a mídia, embora eles nunca precisaram dar qualquer tipo de entrevista.

Mesmo assim, não é fácil acordar todos os dias e ver o mundo se metendo e inventando mentiras sobre você e sua família. É claro que foram todos afetados, mas ninguém sabe exatamente como foi esse momento, pois a família manteve o máximo de sigilo possível.

Disputa pela custódia

Chegou um momento mais tenso da separação. Jolie resolveu pedir a custódia exclusiva de todos os filhos do casal, e provavelmente porque ela tinha bons motivos para isso, mas que ninguém ficou sabendo ao certo. As crianças ainda não tinham idade para opinar sobre o assunto.

Shiloh, que era bem próxima ao pai, certamente sofreu com a decisão, já que teria de ficar longe do pai por algum tempo. Mas, como ainda era menor de idade, não podia discutir, somente acreditar que a mãe sabia o que estava fazendo.

Sendo sincera com o público

Angelina sempre demonstrou ter um bom preparo emocional para lidar com as situações em frente às câmeras. Já estava acostumada com sua vida exposta há tantos anos, então precisaria ser ainda mais forte agora, em um momento tão delicado e envolvendo as pessoas mais importantes da sua vida.

Em uma entrevista de 2017 ela declarou que precisava ser forte pelos filhos, não ficar chorando na frente deles, pois precisavam saber que a mãe estaria sempre ali, firme e forte, para o que precisassem. Ela sabia que precisava proteger os filhos, em especial do ataque da mídia, e que essa não era uma tarefa fácil.

Co-paternidade de Pitt

Mesmo com o pedido de custódia exclusiva, Pitt ainda continuou participando ativamente da vida dos filhos, pois os pais sabiam que essa era a melhor opção para todos lidarem com a separação da melhor forma. Então, estavam mais uma vez errados os rumores de que as crianças passariam a viver sem o pai. Shiloh continuou vivendo na presença do seu modelo, e não por acaso estava ficando cada vez mais parecida com ele.

A disputa pela custódia continuava

A separação de qualquer casal tende a ser um momento difícil, de dor, tomadas de decisão e muitas brigas, quase sempre. Jolie estava disposta a continuar com o pedido de custódia das seis crianças, e uma situação que no começo era privada, passou a ser levada a campo aberto. Afinal de contas, são pessoas públicas e, muitas vezes, é melhor deixar tudo às claras do que abrir espaço para rumores que poderiam prejudicar a vida das crianças.

Tensão mesmo depois de 2 anos

Com o passar dos anos, agora em 2018, a briga do casal pela custódia dos filhos ainda não tinha terminado. Jolie estava acusando o ex-marido de não ser um bom pai e de não ter interesse o bastante na vida dos filhos, por isso, não fazia sentido ser uma custódia compartilhada. Do outro lado, Pitt se defendeu dizendo que estava sim muito interessado na vida dos filhos e que só queria poder estar mais com eles. Em meio a isso, as crianças estavam sendo orientadas, mas é claro que a situação não estava fácil para nenhum deles.

Deixando os EUA sem aviso

Quando Jolie começou as gravações do filme Malévola 2, que ocorreram em Londres, resolveu levar consigo todos os filhos e sem pedir a permissão do pai. É claro que gerou problemas com Pitt, que não gostou da atitude e voltou a lutar pelos filhos, pedindo que a mãe melhorasse a comunicação entre eles.

Pitt agiu e os tribunais entram em cena

Fazendo de tudo para poder voltar a ver os filhos e conviver com eles, Pitt conseguiu que um juiz ordenasse que Jolie o permitisse ver os filhos com mais frequência do que estava acontecendo até o momento. Certamente foi uma boa decisão para as crianças que passaram a ter maior presença do pai na rotina. Ao menos é que o que se pensa, já que ninguém sabe exatamente como era a relação da família à portas fechadas.

Nada estava se resolvendo

Jolie, a esta altura, talvez tivesse entrado em um estado drástico de proteção dos filhos, sem perceber que pudesse estar exagerando. Fontes próximas à família disseram que Shiloh estava sendo a maior prejudicada entre os filhos, já que sentia muita falta da convivência com o pai. Houve Rumores de que ela disse à mãe que preferiria viver somente com o pai.

O juiz chegou a sugerir que se Jolie não melhorasse o seu comportamento com relação a Pitt, corria o risco de perder a custódia dos filhos, o que era o seu maior medo, pois era também a principal causa de brigas entre o ex-casal.

Uma separação cheia de dor

Mesmo com a recente decisão do juiz em permitir que o pai mantivesse mais contato com os filhos, ainda estava tenso. Para Shiloh, a pior de todas as viagens sem o pai foi quando a mãe levou todos para Londres nas gravações do filme. Não demorou para que um juiz ordenasse o fim da viagem, já que estava prejudicando a vida dos filhos longe do pai, em especial para Shiloh.

Uma família dividida?

Embora o foco das notícias em relação à separação seja sempre Shiloh, há outros 5 filhos que também foram fortemente impactados pela separação. Ninguém sabe exatamente como é que continuou a relação entre os filhos e os pais, mas relatos sugerem que os meninos estão mais do lado da mãe, enquanto as meninas (inclusive Shiloh), defendem mais o pai.

Será que Shiloh daria sua versão do fatos?

Já com um pouco mais de idade, Shiloh poderia estar pensando em vir a público deixar claro que ela e todos os irmãos ainda amam muito o pai e desejam continuar convivendo com ele. Fontes próximas relataram que a jovem está cansada de tantas brigas e que queria poder deixar claro que o pai não é exatamente o que a mãe vem alegando que ele seja.

Decisões perto do fim

Parece que, depois de tanto tempo, a tensão está terminando entre o casal e os filhos logo saberão qual será o futuro da convivência entre a família. Talvez tudo termine de forma mais amigável e Shiloh finalmente poderá ter uma vida ao lado do pai e também da mãe, sem precisar de brigas e de separações forçadas.

Shiloh já não é mais criança

Todos acompanharam de perto o crescimento do bebê Shiloh, mas hoje em dia ela já é uma adolescente de 14 anos. Talvez, dentro de algum tempo, ela mesma possa dar a sua versão de toda essa história, e também seus irmãos mais velhos. O que os fãs esperam agora é que toda essa história termine bem e que a família volte a aparecer feliz, ainda que com pais separados, mas sem que seja por motivos de brigas e problemas.