Para evitar sofrimento animal, Noruega proíbe criação de raças de cães

Publicidade

A Sociedade Norueguesa de Proteção Animal (Norwegian Society for Protection of Animals) conseguiu junto aos tribunais do país um feito inédito: impedir a criação de cães das raças Bulldog Inglês e King Charles Spaniels. De acordo com os ativistas, as características físicas desses cachorros são justamente o que causam sofrimento aos animais: o focinho achatado e cabeça pequenininha, que muitos acham bonitinhos, são decorrência de cruzamento entre cachorros parentes, o que causa anomalias hereditárias genéticas.

Crédito: Reprodução Google

Publicidade

Não é à toa que essas raças são conhecidas por sofrerem de vários problemas de saúde, incluindo problemas reprodutivos, infecções de pele, doenças oculares, problemas nas articulações e problemas cardíacos. Além disso, acredita-se que os cachorros da raça King Charles Spaniels sofrem muito com dores de cabeça, por causa do tamanho do crânio, e que os Bulldogs têm dificuldade de respirar, devido ao focinho curto.

Crédito: Reprodução Google

Publicidade

“Os problemas de saúde do buldogue causados ​​pelo homem são conhecidos desde o início do século 20. Este veredicto está, portanto, atrasado há muitos anos. Por muitas décadas, cães doentes foram criados ilegalmente. O que está acontecendo aqui é uma traição sistemática e organizada de nossos amigos de quatro patas. Hoje foi finalmente determinado que isso é uma violação da lei”, disse Ashild Roaldset, CEO da NSPA em entrevista à People.

Os estudos apresentados para defender a proibição ressaltam o alto nível de mortalidade de filhotes de Bulldog devido a defeitos congênitos, como pernas abertas e fenda palatina. Já os cães Spaniels desenvolvem Síndrome da Hipertonicidade Muscular – rigidez nos músculos das patas traseiras após atividade física ou estresse – e têm mais tendência à epilepsia e doença da válvula mitral .

Publicidade

Veja também: Mulher escapa de ataque de tubarão socando o animal